Se você procurar pela internet afora, provavelmente vai encontrar regras de etiqueta ditando quem deve pagar o vestido da dama de honra e pajens. E diga-se de passagem, muitas delas se contradizendo.

Mas aqui trabalhamos com vida real e sabemos que é impossível usar regras de forma tão rígida quando o que está em jogo são relacionamentos e dinheiro. A prática mora longe da expectativa e é muito importante levarmos em consideração as especificidades de cada caso.

A verdade é que em algumas situações quem vai pagar são os pais da criança e em outros casos quem vai pagar são os noivos. Sem rigidez. Até porque as possibilidades financeiras de cada um variam, né? E nada mais justo que adaptar a questão às realidades financeiras de cada grupo de pessoas.

Mas como é que a gente decide? Eu trouxe algumas dicas para ajudar vocês a encontrarem a resposta certa para o seu caso.

dama de honra

frufru

1.Pense nisso na hora de escolher quem vai convidar as crianças

É importante que você convide para damas e pajens crianças que realmente façam parte da sua vida. Pessoas com quem você tenha intimidade e um bom relacionamento.

Isso vai fazer toda a diferença no momento de tomar essa decisão de quem paga o vestido da dama de honra. Se você tiver intimidade com os pais, tudo fluirá de forma mais fácil. Tocar nesse tema e negociar nem sempre vai ser fácil com pessoas com quem você não se sente à vontade.

frufru

2. Converse com os pais da criança

Se você já tem intimidade com os pais da criança é bem provável que você já saiba qual é a realidade financeira dessa família. De posse dessa informação marque um bate papo com essas pessoas e juntos decidam a questão.

Agende uma conversa franca, cheia de carinho e respeito. E decidam juntos qual a melhor opção. É claro que você vai levar em conta se esses pais podem ou não bancar os custos do vestido de dama. Além da sua própria situação financeira, obviamente. Coloque tudo na balança na hora de negociarem.

Falar sobre dinheiro nem sempre é fácil e muitas pessoas ficam constrangidas em ter uma conversa sobre isso. Mas pior do que falar sobre isso é deixar as coisas subtendidas e muitas vezes acabar criando um desentendimento pelo que não foi dito.

frufru

3. Não é obrigação dos pais pagarem a roupa dos pajens e damas de honra

Foram vocês que fizeram o convite para que a criança participasse desse dia especial. E por mais que os pais tenham gostado da ideia e estejam se sentindo super orgulhosos de seus filhos, não foi uma escolha deles. Portanto, não é uma obrigação deles arcarem com os custos das vestimentas das crianças.

Tenha isso em mente e esteja preparada para ouvir um “não” por parte dos pais. A maioria das famílias possui um planejamento financeiro e arcar com um custo extra nem sempre é possível. Não encare isso como uma desfeita do casal. Use sua empatia e se coloque no lugar deles.

Uma boa opção pode ser combinar que o pagamento dos trajes das crianças seja o presente de casamento de vocês!

frufru

4. Parcimônia na hora de escolher as roupas

Na maioria dos casos quem escolhe a roupa que as crianças vão usar no casamento são os noivos. Portanto tenha cuidado na hora de fazer essa escolha. Só opte por roupas “caras” se vocês forem bancar.

Caso contrário deixe os pais opinarem na escolha – e principalmente nos preços.

E lembre-se: estamos falando aqui não só da roupinha mas também dos sapatos, acessórios de cabelo, bouquets e tudo o mais que as crianças forem usar.

Muitas vezes o valor que eles terão que gastar não estava previsto no planejamento familiar e pode acabar prejudicando de alguma forma. Pense com carinho na hora de escolher as roupinhas para não criar um problema.

Uma possibilidade, caso haja intimidade, é vocês acordarem um valor de antemão. Pergunte aos pais qual o valor que eles acham justo investir nesse momento e trabalhe com essa realidade na hora de fazer suas escolhas.

frufru

5. Muitos acordos podem ser feitos

Não existe uma norma estabelecida sobre o assunto. Qualquer um dos dois lados pode assumir integralmente os custos, mas existem outras opções também.

Vocês podem, por exemplo, dividir os valores. Os noivos pagam um pouco e os pais o restante. Com uma boa conversa vocês podem ajeitar esses valores de forma que não fique pesado para nenhuma das partes.

Dividir os valores entres vocês pode ser uma forma justa de resolver a questão.

frufru

6. Mas se você não tiver coragem de conversar sobre isso…

Acontece. Algumas pessoas se sentem muito constrangidas e não gostam de falar sobre dinheiro. Principalmente se não tiverem intimidade com os pais da criança.

Nesse caso meu conselho é que vocês – noivos – arquem com os custos do vestido de dama de honra. Nada mais justo visto que não tem como os pais da criança arcarem com um custo do qual eles nem mesmo estão cientes, não é mesmo?

frufru

7. Se os pais da criança forem pagar pelas roupas…

Se vocês concordarem que a melhor saída será os pais pagarem pela roupa do pajem e o vestido da dama de honra, sugiro que convidem os mesmos para participarem da decisão. Vocês podem pedir sugestões, apresentar opções para eles votarem ou mesmo convidarem os pais para irem às lojas com vocês.

Será delicado da sua parte e os pais ficarão felizes em poderem opinar na compra ( ou aluguel) da roupinha do seu filho.

frufru

8. Uma dica para terminar

E se você está aí sem saber como tocar nesse assunto com os pais para chama-los para uma conversa, preste atenção nessa dica!

Que tal enviar o link desse post para eles com um recado carinhoso: “Fulana e fulano, estive lendo esse post e acho que seria bom marcarmos um café para conversamos sobre as roupas das crianças. O que acham?”

Pode ser um ótimo quebra-gela! Mas não se esqueça de voltar aqui depois para me contar se deu certo, hein?

frufru

Gostou das dicas? Espero que tenham te ajudado nessa decisão, que nem sempre é fácil. E não se esqueça de deixar aqui a sua opinião contando como essa polêmica foi resolvida aí na sua casa!

E para assistir esse conteúdo em vídeo, é só dar o play (e depois curtir, comentar e se inscrever no canal 😉 !

frufru