Olá, pessoal!

Dando continuidade àquela conversa sobre os estilos de casamento  que já falei lá no youtube, e afim de ajudar vocês nos primeiros passos pra começarem a esboçar a organização do casamento, hoje eu vou falar sobre um estilo de casamento que é muito legal e um dos meus preferidos, que é o Destination Wedding.

frufruO que é o Destination Wedding?

Destination Wedding nada mais é do que simplesmente o casal optar por se casar numa outra cidade que não seja a cidade onde moram. Ou seja: o casal vai escolher uma cidade especial por algum motivo particular: ou que é muito bonita, ou que tenha um cenário legal, ou às vezes uma cidade que tenha a ver com a história deles.

Por exemplo: eles se conheceram numa cidade do interior e agora os dois estão morando na capital, ou em outro estado, ou similar. Aí eles decidem fazer o casamento naquela cidade do interior, porque tem todo um valor, uma simbologia para aquele casal.

Provavelmente você já escutou de algum dos seus amigos (principalmente os solteiros convictos) quando você fala que vai se casar: “Nossa, você vai gastar um dinheirão pra três ou quatro horas de festa e vai passar rapidinho!” Então, se você vai fazer um Destination, essa festa pode durar um final de semana todo – e esse é um ótimo argumento pra você usar com esses amigos! 😉

Se você ainda escolher um feriado no meio, essa festa pode durar até o feriado prolongado inteiro, quatro dias por exemplo.

destination wedding

Destination Wedding em Cancun – Marina e Lucas – Foto: Andre Timex

frufru

E como funciona o Destination Wedding?

Bom, vou dar um exemplo de um casamento Destination que eu estive presente, pra vocês terem uma noção. O casal era de Belo Horizonte e eles decidiram se casar em Trancoso, na Bahia. O dia do casamento era um feriado que caiu numa sexta-feira (7 de setembro, se não me engano). Todos os convidados chegaram nessa sexta-feira de manhã.

A assessoria/cerimonial que ajudou esses noivos com o planejamento já tinha o nome de cada convidado e qual hotel que esses convidados iam ficar (é claro que você pode também escolher que seus convidados fiquem todos no mesmo hotel, é até mais legal. Mas no caso desse casamento que eu fui, cada um podia optar por ficar em qualquer hotel da cidade). Então esse cerimonial/assessoria já tinha deixado no quarto de cada convidado um tipo de “roteiro” por escrito, explicando qual era a programação do feriado e do final de semana.

Havia almoços, jantares, baladas… É claro que os convidados não precisavam cumprir tudo, mas em posse dessa programação, todos se decidiam: podiam ir jantar com todo mundo, ou comparecer ao almoço, à noite todo mundo se encontrava na mesma baladinha da cidade etc. E olha que bacana, em vez de ter uma festa de casamento, eles conseguiram ter várias festas de casamento, porque no final das contas todo mundo se encontrava várias vezes para a mesma celebração!

Super bacana, né? E vamos combinar que foi super econômico também, porque é claro que os noivos não bancavam cada um desses almoços, ou cada uma dessas baladas. Tudo era opcional: lá na programação constava onde os noivos estariam em cada dia e horário, e o convidado acompanhava aquele roteiro somente se ele quisesse. Mas todo mundo ia, cada um pagava sua conta e o casamento durou o final de semana inteiro.

destination wedding

Destination Wedding em São João Del Rei – Juliana e Luiz – Foto: Laura Fonseca

frufru

O destination wedding é mais caro ou mais barato?

Pois é, esse é um ponto que realmente muita gente se confunde, pois em geral todo mundo acha que fazer um Destination Wedding é mais caro: “Ah, casar em Paris vai ser caro demais!”. Então, uma notícia boa para vocês, que é a primeira vantagem desse estilo de casamento: não, o Destination Wedding não necessariamente vai ser mais caro! Em primeiro lugar, se você vai se casar, por exemplo, em Paris, ou em qualquer outro local fora do Brasil, normalmente sua lista de convidados vai diminuir bastante. Então nesse ponto você já tem uma boa economia.

Outra coisa é que você não precisa se casar em Paris nos mesmos moldes que você se casaria aqui no Brasil, não é? Por exemplo, eu já vi um casamento em Paris que foi feito num daqueles barcos no rio Sena. Ou seja, o custo não foi muito alto, porque os convidados só tinham que pagar o barquinho, sentar lá e assistir a cerimônia. O Buffet servido depois era um petit gourmet ali mesmo, no barco, não tinha nada muito elaborado. E casar em Paris por si só já é um luxo!

Outra prova que eu tive disso, de que não é verdade que um Destination Wedding sempre é mais caro, foram uns resorts que eu já fui aqui no Brasil e que oferecem opções específicas para Destination. Eles já são all inclusive, ou seja, todas as refeições estão incluídas. Daí eles oferecem pacotes promocionais bem bacanas para realizar o seu Destination lá, da seguinte forma: todos os convidados ficarão nesse hotel (e aí os convidados podem pagar a própria hospedagem, caso você opte por isso ou não tenha condições de bancar todo mundo). Então quando o convidado paga sua hospedagem, também já está pagando a alimentação. No dia do casamento eles só dão uma elaborada no cardápio dessa alimentação, e ela “vira” o buffet do seu casamento!

Mais um exemplo: se você fizer a opção por um casamento na praia, você vai precisar de pouca (ou quase nada de) decoração, afinal, a praia já é o próprio cenário, é deslumbrante! Ou então se você quer se casar naqueles campos lindos da Itália, também não vai precisar de muita decoração, e você ainda vai adaptar a alimentação, a quantidade de convidados vai ser menor… e, no final das contas, isso não vai sair mais caro.

Perceba então que tem várias coisas que, quando você vai colocar na ponta do lápis, vão te levar à conclusão de que existem formas de economizar muito fazendo um Destination.

Claro que realizar um Destination Wedding pode sair mais caro, sim. Por exemplo, se você pensar naquela festa bacana que você faria na sua própria cidade, pra 400 pessoas, e quiser fazer essa mesma festa em outra cidade, então provavelmente vai te onerar mais, obviamente. Mas o Destination não é necessariamente mais caro.

destination wedding

Destination Wedding em Arraial D’Ajuda – Bethânia e Bruno – Foto: Ana Paula Aguiar

frufru

E como fica a lista de convidados num destination?

A segunda vantagem de se fazer um Destination (que talvez possa ser uma desvantagem, dependendo do ponto de vista) é a lista de convidados. Todo mundo sabe que a lista de convidados costuma gerar confusão (tem até um vídeo falando só sobre isso no nosso canal), porque geralmente a gente quer convidar mais pessoas do que dá pra convidar… e isso no Destination pode não ser um problema, porque, por exemplo, se o convidado é que for arcar com os custos da viagem, você pode convidar todo mundo sem restrições, e no final das contas só vai quem tiver condições de ir, ou quem estiver muito disposto ou só quem tiver muita consideração pelo casal. Aí já diminui muito aquele problema de pensar uma festa pra uma quantidade grande de pessoas…

Mas por outro lado isso também é chato, e como eu disse, pode ser uma desvantagem, porque muitas pessoas que o casal gosta provavelmente não poderão ir. É claro que as pessoas mais próximas, as pessoas que querem bem a vocês, vão fazer o máximo de esforço para estarem lá, mas mesmo assim a gente tem que saber que quando você realiza um casamento fora da sua cidade, isso já é um “dificultador” natural pra muitas pessoas.

Então, estejam cientes que o fato de ser um Destination pode impedir bastante o acesso das pessoas ao seu casamento, e pode acontecer de você não contar com a presença de pessoas que você gostaria muito que estivessem lá naquele momento (daí, aquela vantagem pode ser uma desvantagem, como eu disse).

destination wedding

Destination Wedding em Tirandets – Patrícia e Matheus – Foto: Leco Reis

frufru

Mais uma vantagem do destination wedding

Uma outra vantagem do Destination é que a lua de mel pode ser mais barata. Primeiramente, porque dependendo da cidade escolhida para o casamento, vocês podem fazer a lua de mel na própria cidade que vocês vão se casar! 😉

Ou então quando vocês forem fechar numa agência de viagens um pacote pra vocês (ou para os seus convidados, dependendo de como vai ser a sua organização), muitas vezes essas agências costumam oferecer a viagem de lua de mel aos noivos (ou então excelentes descontos na viagem de lua de mel, que você pode aproveitar).

Por exemplo, sabe essas redes de grandes hotéis presentes em várias cidades do Brasil ou do mundo? Se você decide se casar num hotel desses, você pode ter descontos incríveis pra ficar nesse mesmo hotel em outro destino, então isso pode ser uma boa (e econômica) ideia pra lua de mel. 😉

destination-weddin

Destination Wedding em Trancoso – Renatae Renato – Foto: Helena Leão

frufru

E as desvantagens do destination wedding?

Mas como nem tudo são flores, também tem algumas desvantagens nesse estilo de evento.

Em primeiro lugar, precisam tomar muito cuidado com a cidade que vocês vão escolher. Porque, como eu falei, às vezes vocês escolhem uma cidade que tem um valor sentimental pra vocês, que é onde se conheceram, mas de repente essa cidade não tem uma infraestrutura para um casamento ou para receber muitos convidados. E aí pode acontecer de vocês terem muita dor de cabeça nessa organização, ou acabam gastando muito mais pra levar serviços de outros locais pra essa cidade a fim de garantir essa infraestrutura.

Por exemplo, sabe aquelas cidadezinhas litorâneas bem paradisíacas e bem pequenininhas que praticamente só tem a praia? Muita gente fica fascinada com esses locais e aí quer de toda forma casar num lugar como esse. Afinal, é maravilhoso mesmo. Mas não se pode esquecer que precisa de toda uma infraestrutura: um hotel bacana pros seus convidados se hospedarem, locais pra se alimentarem, pra se arrumarem… e se for ter festa vai precisar de toda aquela infraestrutura de festa também: uma cozinha pro buffet, um gerador de energia, banheiro pra todo mundo etc. Então, é fundamental ficar de olho nessa questão da infraestrutura da cidade.

Porém, como o Destination está muito “em alta” hoje, muitas dessas cidades pequenininhas e visadas até já se desenvolveram pra isso. Por exemplo, aquela vez quando estive em Trancoso para o casamento que contei anteriormente, eu me lembro que conversei com uma pessoa da cidade e ela me relatou que, antes, o ponto forte de lá era o turismo mesmo das praias. Agora são os casamentos. Então, a cidade já modificou muito as suas prestações de serviços para poder receber toda essa quantidade de casamentos que está sendo realizada lá.

destination wedding

Destination Wedding na Itália – Nay e Matteo – Foto: Ana Slika

frufru

Podem surgir custos extras…

Outra desvantagem que a gente tem que tomar cuidado é que às vezes a gente conhece na nossa própria cidade profissionais tão legais que gostamos tanto e costumamos nos apegar a esses profissionais que a gente já tem afeição. Aí só queremos, por exemplo, fazer a maquiagem ou fechar fotografia ou filmagem com aquele profissional específico – portanto você vai querer levar aquele profissional para o seu Destination.

Então você tem que lembrar que o fato de não contratar um profissional da própria cidade onde você vai se casar vai te gerar um custo extra, pois logicamente eles vão ter que cobrar um pouco mais caro por causa de despesas como deslocamento e hospedagem, por exemplo. Então fiquem atentos.

destination-wedding-ilhabela

Destination Wedding em Ilhabela – Thaisa e Marco – Foto: Ale Borges

frufru

Pra terminar, deixo mais duas dicas importantíssimas:

Primeiro: uma coisa que você não pode deixar de pensar é numa assessoria (cerimonial). Afinal, preparar um casamento à distância não é fácil. Então você precisa escolher uma assessoria muito boa e de preferência que tenha experiência em realizar Destinations (melhor ainda se tiverem experiência nessa cidade específica que vocês escolheram se casar, que já conheçam os serviços da região, sabem encontrar os principais fornecedores etc). Essa assessoria (cerimonial) é fundamental.

A outra dica: os convidados, quando chegam numa cidade totalmente diferente e desconhecida, podem ficar um pouco perdidos. Então faça tudo que você puder fazer para recepcioná-los com hospitalidade, carinho e zelo.

Por exemplo, aquela ideia daquele casamento que eu fui, de receber os convidados com uma programação por escrito no próprio quarto de hotel, é super interessante.

Outro exemplo: vocês podem criar um site de casamento e colocar lá algumas dicas para facilitar a vida dos convidados: qual a companhia aérea que ele deve procurar ou qual a melhor forma de chegar ao local do casamento; indicações de serviços na cidade como salões de beleza, restaurantes, hotéis; etc.

Mais uma ideia bem fofa é deixar lá no quarto do hotel onde o convidado está hospedado, dessa vez depois da celebração, alguns “kits pós-festa” com coisinhas como sais para escalda-pés, Engov pra ressaca, etc. Ou talvez até mesmo uma lembrancinha regional da própria cidade (como um docinho ou uma cachacinha fabricada pelos produtores locais) para eles levarem de recordação.

Enfim, qualquer coisa que faça o seu convidado se sentir querido, acolhido e menos desnorteado. Pesquisar e fornecer todas essas informações é uma indicação de cuidado e gentileza. Afinal, é bom demonstrar gratidão pela presença e esforço que eles fizeram para partilhar aquele momento com vocês. 🙂

destination-wedding-tiradentes

Destination Wedding em Tiradentes – Adriana e Rodrigo – Foto: Mariana Favato

frufru

Então, essas são as dicas que eu queria passar pra vocês. Se alguém tiver alguma dúvida, deixem um comentário. Ou se tem alguém que já foi em algum casamento do estilo Destination ou mesmo que se casou assim, compartilhem conosco também nos comentários! Vou adorar ler vocês. Um beijo!

frufru

E para assistir esse conteúdo em vídeo é só clicar no play 😉

frufru

Créditos:

Filmagem e edição:  Compota IP