Diante do acontecido nos últimos dias (para quem não sabe: um buffet com bom nome no mercado de uma hora para outra pediu falência, os donos sumiram e deixaram mais de 400 compromissos sem cumprir) muitas noivas têm nos procurado, inseguras com a contratação dos fornecedores.

E é uma situação difícil pois segurança total não existe. Empresas que são bem vistas no mercado podem sim de uma hora pra outra pedir falência, ou “dar o cano” em seus clientes. Infelizmente o mundo está cheio de pessoas mal intencionadas e é impossível ter 100% de garantia de que os profissionais que você contratou ou pretende contratar são idôneos.

frufru

Mas não quero espalhar pânico, ao contrário.

Felizmente, 99,9% dos profissionais são sérios e não fazem esse tipo de coisa com seus clientes. Desde 2009 que tenho acompanhado o setor de casamentos e só ouvi esse tipo de história raríssimas vezes. Se contarmos que em BH temos mais de 18000 casamentos por ano e que cada noiva contrata, em média 10 profissionais diferentes, vemos que na maioria absoluta dos casos tudo dá certo.

Mas não importa o tamanho do risco, o fato é que você não quer ser uma dessas vítimas, certo? E por isso selecionei algumas dicas para ajudá-los na hora da contratação dos fornecedores. Como eu já disse, isso não vai te dar 100% de segurança, mas minimiza a possibilidade de problemas!

frufru

1) Esqueça os acordos verbais. Tudo, repito, TUDO deve constar por escrito. Por mais legal que o fornecedor pareça, por mais que ele prometa mil vezes que entendeu e que vai fazer aquilo da forma como vocês estão combinando, escreva! Tudo deve constar no contrato.

2) Procure saber mais sobre a empresa antes de fechar o contrato. Peça referências aos seus amigos, aos outros fornecedores, vasculhe na internet, procure casamentos anteriores realizados por aqueles profissionais (aqui no blog temos mais de 300 casamentos postados) e claro, consulte no Procon e Reclame aqui.

inseguranca

E enquanto eu escrevia esse post, uma leitora querida, a Natalia, me mandou algumas dicas de ações que ela está tomando para se precaver e, lógico, pedi a ela para transcrever aqui para vocês:

“Perdi muito tempo porque me empolgava com um salão, fazia as visitas e quando estava nos “finalmentes” descobria que a casa não tinha alvará… Aí descobri o BH Resolve, serviço da prefeitura de BH. Você liga para o 156 (de segunda a sexta em horário comercial – sábado e domingo não têm essa opção) e digita o ramal 5 (regulação urbana). Basta ter o endereço do salão (ou CNPJ) que o atendente te diz se tem alvará ou não e a situação do mesmo. É ótimo!! 

Outro excelente serviço é o site do Serasa Consumidor . Você paga um valor por consulta de CNPJ e descobre se a empresa está devendo na praça, se deve para o fisco. Foi o que me impediu de fechar com o salão de festas da empresa que faliu…

Também gosto de conferir o Procon, Reclame aqui… No site do TJMG dá pra ver se há processo contra a empresa.

Nas minhas pesquisas também cheguei a ir ao Batalhão do Corpo de Bombeiros que fica na Savassi e eles me informaram a real situação de um salão que ainda não havia sido aprovado…”

Ótimas dicas, Natalia! Obrigada!

E se cuidem, pessoal. Não acredito que haja a necessidade de ficarem obcecados e neuróticos, mas ter cuidado é sempre bom!!!